domingo, 14 de março de 2010

HOMENAGEM - Mestre Azulão




José Vieira? Acho que era este o nome na plaquinha do Azulão, confesso que nem tenho mais certeza, afinal o “azulão” eternizou-se como um verdadeiro nome para este grande mestre.

Foi Padrinho de Honra do Adjunto Aluxã, Mestre Mário Kioshi. Juntos viajamos por diversos templos acompanhando a missão de nosso Adjunto.

Mestre Azulão era uma figura incrível! Concentrado, incorporava Entidades que emitiam suas mensagens de profundo conteúdo, longe de qualquer conhecimento físico que o Mestre pudesse saber.

Mas, falar do Azul, é relembrar momentos e... contar passagens!
Lembro de uma vez, no primeiro trabalho do quê seria o Templo de Osasco.
Uma viagem massacrante, saímos em 5 homens, dentro de um Fiat Uno, de Brasília para São Paulo. Viajamos a madrugada toda e almoçamos em Osasco, na casa do Ismael. Eu crente que seria a inauguração do templo, pois não perguntávamos nada, apenas seguíamos a missão onde nos era solicitado.
Depois do almoço aparece um fusca meio velho (tem fusca meio novo?) onde amarraram dois tronos no teto. Digo amarraram mesmo! Com cordas passando pelo teto e juntando as portas, pois o carro não tinha bagageiro.
Seguimos para o “templo”. Um terreno baldio, com um formato indescritível, um polígono de uns 8 lados com no máximo 300m. Ali cavamos os buracos, colocamos as estacas, esticamos uma lona amarela, “arrumamos” os tronos e começamos o trabalho!

Salve Deus! Neste dia falei com o Ministro Aluxã! Uma incorporação indubitável, cujo conteúdo guardo até hoje. Ali ouvi coisas que somente uma entidade de luz, com o conhecimento pleno de minha jornada, poderia saber. Ouvi desde de minha infância até o momento em que vivia, com perfeição, e lá recebi a tranqüilidade que precisava para ir em frente. A partir deste dia, tinha a certeza que na simplicidade da personalidade daquele homem, estava um mestre de grande capacidade de doação.

Meu amigo Azulão, parceiro de tantas missões, era um homem sério, que somente eu, Mário e Reginaldo conseguimos fazer “brincar” um pouco. Ele sempre era o “padrinho”, o “conselheiro” o “homem sério” e nós buscávamos com que ele se descontraísse um pouco e aproveitasse da alegria que desfrutávamos naquelas cansativas viagens.

O Mário (Aluxã), por traz daquele olhar oriental enigmático, era um homem brincalhão. Juntava-se comigo e pronto: surgia a vítima perfeita! Azulão!
Certa vez prepararam uma feijoada especial para o Azul, lá em Pirapora. Ele passou a manhã inteira falando do orgulho que era, porque a feijoada era para ele desta vez, que não era para o Adjunto, que ele também era querido, respeitado, etc....rsrsrs

Na hora do almoço, o Mário pegou o azeite da pimenta (fortíssima) e besuntou o primeiro prato da fila todinho. Como o Azul era o homenageado, ele foi o primeiro da fila, to inchado, igual a um cururu tem-tem. Eu entrei na frente dele para provocá-lo, dizendo que menino de orfanato tem preferência (sempre fazia isso) e passei a colocar o arroz em cima do prato cheio de azeite de pimenta. Ele indignado, tomou o prato e disse que ele era o primeiro.. E eu saí rindo. O Mário me cutucou: Vai levar a culpa de novo! Não entendi, mas fiquei esperando.

Terminamos de nos servir, fomos para a mesa e chegando lá estava o Azul... Azul não... Roxo! Seus olhos vermelhos queriam me trucidar!

E eu inocente:

Que foi Azul? Quer pimenta?

Aí ele teve a certeza: Casagrande aprontou de novo!

Desta vez eu era inocente!

O Negão comeu tudo sem chiar, ao lado de um litro de coca-cola e ouvindo Dona Antonieta perguntar: Está bom Azul? É em sua homenagem! Coma bem!

E o Mário: Casagrande, pega uma pimentinha para o Azul.

Ele nunca acreditou que o Mário era o culpado e eu só entrego o Adjunto agora porque eles já devem estar se acertando lá “em cima”.

Minha homenagem hoje é para o Azulão. Companheiro, Grande Mestre e vítima preferida!

Adjunto Anavo

7 comentários:

RSRSRSRSRSRSRSRS São brincadeiras sadias! Isso é muito bom. Parabéns Edmilson Roque Adj Afaremo

justa homenagem a esse missiionário do ministro aluxã, ass:Adj uracy

Azul... Saudades!
Muito me aconselhou em minha trajetoria.

Azul... Muito me aconselhou em minha trajetoria.

Pôxa, não o conheci, mas fiquei com saudade. Salve Deus !!!

E GENTE NAO ERA DE ATOA QUE ELE ERA CHAMADO DE AZULAO MEU PAI QUE TANTO AMO OHH SAUDADES E HOJE SE FAZ 15 ANOS DE SUA PARTIDA E EU VEJO ESTA OMENGEM A ELE

Meu pai,meu mestre,meu exemplo de várias coisas que poderia dizer uma explica tudo,te AMO!Azulão,José Vieira,Papai.
ADJ.Juacy

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.