Pular para o conteúdo principal

SER JAGUAR


SER JAGUAR, OU QUERER SER JAGUAR, OU ARROGAR-SE O DIREITO DE USAR UM COLETE...

Muitos alegam sê-lo, por terem sido "iniciados"...

Outros por terem sido "iniciados" e ser filhos de jaguares...

Outros tanto usam palavras bonitas, construções verbais adequadas para "sensibilizar" e apresentar suas classificações...

Alguns são reconhecidos porque conheceram Tia Neiva, são veteranos e posam de cidadãos conhecedores de seu acervo...

Outros, omissos, displicentes, falastrões se dizem Jaguares...

Outros mais, mercantilistas, vêem no Vale do Amanhecer a oportunidade de encontrar incautos, crentes e confiantes “irmãos” para "usá-los" em sua busca de poder, certos de que o "colete com classificações" o dá o verniz que precisam para robustecer seus argumentos...

Alguns outros vão e vem... Sem nunca terem feito nada!

Absolutamente nada! Não suaram seus coletes!

São velhos no tempo de doutrina. Só isto.

Só falam e criticam, sem nunca terem arregaçado as mangas das camisas e suado pelos ideais de Tia Neiva, mas se dizem jaguares...

A Doutrina do Amanhecer sempre foi e continuará sendo o que sempre foi!

Sempre foi a coragem de Tia Neiva! A chegada em uma época de passagem da Terra em momentos de grandes mudanças!

Um instantâneo do momento vivido e ao mesmo tempo uma amostragem do todo!

Se hoje faz muito menos do que verdadeiramente poderia, é porque os que “se dizem jaguares” de hoje nada fazem.

Falam mais que fazem.

Criticam mais que produzem. Como é fácil criticar...

Os verdadeiros jaguares que vibram e sentem a Doutrina em suas veias, que além de "estarem jaguares", são, efetivamente, JAGUARES, sentem-se ultrajados ao ver tudo isto...

“Mestres” que não cumprem suas mais simples promessas, seus solenes juramentos...

Aqueles ficam tristes ao ver os seus irmãos trapacearem, mentirem, perjurarem, enganarem seus irmãos, seus afilhados, seu Templo, e arrogarem-se o direito de serem chamados: JAGUAR!

Nossos “segredos” já estão na Internet! O Acervo Doutrinário!

Ah, para quem não sabe, até mesmo descrições de trabalhos, Leis e Chaves Ritualísticas, exclusivas de Centuriões, também!

Jaguar não pode ser reconhecido pelo conhecimento do acervo!!!

Jaguar é aquele que cumpre seus solenes juramentos, honrando, respeitando, protegendo, amparando, ensinando, aprendendo aos que o rodeiam, familiares, amigos e Irmãos de Doutrina!

Jaguar lembra todos os dias do primeiro e tão simples compromisso da Iniciação: os Três horários!

Jaguar é aquele que não engana o próximo, com mentiras, promessas e projetos inalcançáveis, nem a si mesmo!

Jaguar é JAGUAR... Aquele que usa e honra seu colete.

Jaguar é o socorro do fim de um ciclo! É aquele que recebe de braços abertos até mesmo aquele que desesperado está para lhe agredir.

Jaguar respeita o “Estatuto do Jaguar”:

I. Amar ardentemente a caridade.

II. Colocar-se no lugar do paciente socorrido.

III. Considerar a situação constrangedora da pessoa menos feliz.

IV. Amparar com discrição e gentileza.

V. Encontrar tempo para ouvir os necessitados.

VI. Nunca ferir alguém com indagações ou observações inoportunas.

VII. Abster-se de quaisquer exibições de superioridade.

VIII. Usar a máxima paciência para que o necessitado se interesse pelo auxílio que se lhe ofereça.

IX. Jamais demonstrar qualquer estranheza ante os quadros de penúria ou delinqüência, buscando compreender fraternalmente as provações dos pacientes ou irmãos em sofrimento.

X. Respeitar a dor alheia, seja ela qual for.

XI. Aceitar os hábitos e os pontos de vista do paciente assistido ou do irmão, sem tentar impor as próprias idéias.

XII. Tolerar com serenidade e sem revides quaisquer palavras de incompreensão ou de injúria que venha a receber.

XIII. Esquecer os melindres pessoais.

XIV. Evitar cochichos ou grupinhos para comentários de feição pejorativa.

XV. Dedicar-se ao trabalho espiritual para ser mais útil.

XVI. Não apenas verificar os males que encontre, mas, verificar-lhes as causas para contribuir com o reajuste.

XVII. Cultivar sistematicamente a oração e os nossos três horários.

XVIII. Admitir os pacientes não somente na condição de pessoas que se candidatam a recolher os benefícios que lhes possamos prestar, mas, também, na qualidade de companheiros que nos fazem o favor de receber-nos a assistência, promovendo e facilitando a nossa aproximação de Pai Seta Branca.

Este deveria ser nosso verdadeiro e único estatuto!

Adjunto Anavo

Mestre Kazagrande
(Estatuto Adaptado de Psicografia de André Luiz, por Chico Xavier)