terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

POR FALAR EM AMOR

Confesso que não me sinto à altura para tratar de algo tão vasto, completo e maravilhoso, mas espero que quem me colocou nesta empreitada não me abandone e me intua de acordo com a nobreza do tema...

Creio que cada ser humano tenha uma resposta, uma quantidade enorme de conceitos sobre o significado desta singela palavra. Dependerá muito de suas experiências de vida, de suas crenças e julgamentos... Mas este texto não é um concurso para chegar à resposta correta, portanto, falarei somente aquilo que sinto, esperando que ao menos ajude alguém que esteja lendo estas linhas.

Existem dias que, por uma razão ou outra, começam conturbados, pesados. Para quem vive na frente do computador, uma quantidade grande de e-mails, dificuldade de conexão... Problemas maiores ou menores, que de repente estamos atraindo, começam a atacar aquele sereno estado de espírito que nos acompanhava ao despertar e neste momento esquecemos, ao menos por um tempo, de nossa verdadeira natureza, da capacidade que temos de permanecer ou retornar àquele estado de graça.

Afastamo-nos de nosso centro, nossa vibração baixa, nossa sintonia se perde e o barulho incessante, aquele da mente racional que vive de contar horas e minutos, que cobra resultados práticos e ação pontual, bruscamente prevalece sobre a força da harmonia, da paz e do silêncio interior.

Sim, é quando viramos as costas para nosso coração, este precioso e freqüentemente esquecido companheiro, a chama que ilumina o caminho, o lugar sagrado onde Deus habita e onde, definitivamente, reina o Amor...

Bom... Pelo menos sabemos onde ele mora! E já percebemos como, em dois tempos, somos capazes de nos afastar dele também.

Se for fácil sair do centro, da serenidade, parece claro também, que é muito simples, visto que sabemos o caminho, reencontrá-lo... Basta querer. Trata-se apenas de um ato de vontade. É bom respirar profundamente, fechar os olhos, visualizar a chama da vida acesa no peito a iluminar nosso ser e tudo em volta. O que fazer para permanecer em sintonia constante com esta harmonia que acolhe, ampara, conforta e protege?

Talvez seja preciso observar mais, sentir mais.

Focar no que é esplêndido, pedindo para ser visto, apreciado, contemplado e que está presente ao nosso redor... e ir muito além das aparências e daquilo que nos foi ensinado... Olhar com os olhos puros a beleza que está na natureza, num broto que se transforma numa linda e perfumada flor, num casulo despretensioso que se torna uma perfeita e belíssima borboleta ou numa minúscula parte de nós que, num ato de amor, transforma-se numa jornada de incrível perfeição e majestade, num milagre que dá vida a um ser humano de divina linhagem... É necessário notar a doação do Universo - do qual somos co-criadores - e sua abundância infinita... Todas as energias específicas para nossa caminhada, os elementos essenciais, estão sempre e gratuitamente disponíveis, garantindo-nos uma variedade de experiências a perder de vista, na terra, no ar, na água, no mundo impalpável dos sonhos e das outras dimensões...

Sim, é imprescindível sentir, captar também o que é invisível aos olhos, mas que o coração consegue nos trazer de forma cada vez mais clara, em função do despertar de nossa consciência, da transformação que se deu durante a intensa caminhada por este extraordinário planeta azul.

Amigos, o amor, esta doação que nada cobra, que está em tudo, nos convida a sermos nós próprios o amor em ação; sugere-nos que deixemos de lado o egoísmo, a cobiça, a posse, a separatividade, o ódio e que passemos a viver todos aqueles sentimentos que emanam da Fonte, todas as formas de ser, de agir que nosso coração sugere, quando conseguimos, no silencio interior, ouvi-lo.

E o presente -que é a vida- desabrocha em seu ritmo, ora vagarosamente, ora de forma arrasadora, levando-nos a vôos e jornadas que fazem nosso caminhar valer a pena. E, ao descobrirmos finalmente, após tantas experiências pessoais e percepções mil, nada menos que somos a morada da Divindade, estaremos em condição de irradiar Luz, paz e sabedoria... Pois nos tornaremos mestres do Amor, da cura, da bem-aventurança.

É fundamental mergulhar fundo no Amor Incondicional. Façamos dele o inseparável companheiro de jornada. Precisamos incorporá-lo em nossos pensamentos, atitudes, atos e utilizá-lo como Guia, como conselheiro, como parte de nós, pois de fato somos manifestação da presença dele. Quando isso ocorrer, não mais ficaremos prisioneiros do mundo da matéria e de suas ilusões. E não terá mais volta. A mudança será firme e definitiva, a harmonia será a tônica de nossa caminhada; a simplicidade, a humildade verdadeira e a compaixão formarão um apoio estável para o nosso desenvolvimento.

A vibração da Unidade abraçará aos poucos todos os corações e mentes que ainda estiverem adormecidos, medrosos, ou inseguros talvez.

Quando este amor reinar, com certeza a Terra se transformará num verdadeiro Paraíso.

Confesso que tenho esperança de poder ver isso acontecer... Sinto que estão em marcha transformações profundas, contínuas, positivas, mesmo que pouco disso venha a ser divulgado pelas mídias principais do globo.

É um movimento amplo, pouco visível, mas profundo, pois para muitos ainda se trata de uma benfazeja semente escondida no coração, prestes a germinar, a tomar corpo e forma e a se juntar às outras que, neste instante, preparam-se também para o grande despertar.

Perceba as suaves batidas do seu coração, converse com ele no silêncio de seu quarto, ouça sua voz interior... Espero, desejo, torço para que você tenha muita fé, confiança, coragem e determinação.

Sinta... E seja você o próprio Amor.

Adjunto Anavo

2 comentários:

Se é amor, plantemos amor... regando, adubando, podando e futuramente colhendo!
Quem sou eu para falar de amor? No entanto sinto a nescessidade de expressar em palavras o que tenho aqui dentro de meu coração, pois um dia alguém irá ler e quem sabe se identificar em algum ponto...que assim seja!
"A voz que acalma, transmite energias e magnetismo, o fluido que faz com que tudo se transforme em risos, até mesmo as lágrimas...
Fechando os olhos, posso em mente desenhar cada traço dessa simplicidade de meu pai...
Quanta saudades que tenho dos seus carinhos...
Quantas lembranças guardo em mim...
Quantos abraços quiz te dar...
Quantas vezes tentei entender essa amor pelo que nunca tive neste plano, porém sinto como se a toldo instante estivesse ao meu lado a me olhar...
Um dia eu senti medo, e chamava por ti, assustada não entendia que aquela presença era a sua, com o tempo as coisas se esclareceram e eu hoje não sinto mais medo apenas oro pra que seu espirito seja agraciado e iluminado, para que um dia possamos matar essa saudade...

É isso que está faltando hoje em dia nas pessoas, sentir e emanar O AMOR!
Talvez os a fazeres do cotidiano tem cegado o homem e ocupado suas mentes com outras coisas... Deixando de lado o essencial da vida: sentimentos puros, sentimentos de amor.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.